top of page
pea - banner - site -2.png
  • Foto do escritorTudo Sobre Pós-graduação

Bolsonaro e a história da Ordem Nacional do Mérito Científico

A Ordem Nacional do Mérito Científico é uma ordem honorífica concedida a personalidades brasileiras e estrangeiras como forma de reconhecimento das suas contribuições científicas e técnicas para o desenvolvimento da ciência no país. [1,2]


Pelas regras da Ordem Nacional do Mérito Científico, todo presidente da República é Grão-Mestre da Ordem (sim, parece besteira de ordem secreta, é sempre assim com essas medalhas). E todo grão-mestre é, por decreto, agraciado na classe "Grã-Cruz". É automático.[2]


Então, o que Bolsonaro fez - e Temer fez em 2018 - foi só oficializar o que está previsto desde 1993. Todos os presidentes antes dele também estão na classe Grã-Cruz da Ordem, tendo ou não editado decretos se concedendo o benefício. Desde 2002, ministros também recebem. [3]


Dito isso, me parece que Bolsonaro assinou sem ler o rolê - e com isso fez um relevante desagravo. Isto porque a Comissão Técnica que avalia quem é homenageado é composta por 9 pessoas, das quais apenas 3 são do governo. As outras são da comunidade científica.


Com o governo minoria, claramente os outros seis integrantes se preocuparam em garantir que gente efetivamente prejudicada pelo Grão-Mestre fosse homenageada. Aqui dois exemplos de homenageados oriundos da Saúde: Marcus Vinicius Guimarães de Lacerda e Adele Schwartz Benzaken.


Marcus Vinicius Lacerda é o responsável por uma das primeiras pesquisas que ajudou a enfrentar a ideia estapafúrdia da cloroquina como combate à Covid. Pesquisador da Fiocruz em Manaus, ele virou alvo dos filhos do presidente e do bolsonarismo e chegou a ser ameaçado.


Na prática, o que Bolsonaro fez hoje foi homenagear "por suas relevantes contribuições prestadas à Ciência" um pesquisador que abriu as portas para mostrar a ineficácia da cloroquina contra a Covid-19. Bolsonaro fez isso consciente? Duvido.


A outra homenageada, Adele Schwartz, foi demitida do cargo que ocupava no Ministério da Saúde no começo do governo Bolsonaro. O motivo? Provavelmente uma cartilha destinada a homens transgêneros. Parece alguém que Bolsonaro homenagearia, ainda que mereça?


Outros homenageados incluem um antropólogo que se opõe à mineração em terras indígenas e químicos que já criticaram abertamente a política de ciência do governo. É quase como se a lista tivesse sido feita para desagravar pessoas que este governo preferiria que desaparecessem.


Assim, parabéns ao pessoal que realizou tudo isso. Se o presidente é um imbecil que não lê o que assina e vai ganhar uma medalha só porque está na regra, que pelo menos aproveitemos a brecha para agradecer quem realmente merece.


Atualização:

Como tem gente que ainda está lendo a thread original, lamento informar que alguém contou ao cavalão o que ele havia feito. Como ele é um dos piores seres humanos a já ocupar aquela cadeira, ele acaba de revogar APENAS as homenagens ao Lacerda e à Adele. [4,5]


Um dos outros condecorados, o epidemiologista Cesar Victora, publicou carta aberta recusando a homenagem por conta da política do governo e da palhaçada de hoje. [6]


ATENÇÃO: O texto deste post é original de uma thread produzida no twitter pelo perfil Janot Temporariamente Caseiro. O mesmo nos deu autorização para reproduzi-lo.[7]


FONTES:


197 visualizações

Comments


bottom of page